Compartilhe:

Maio, mês das mães

Chegou o mês de maio, um mês de comemoração de várias datas importantes, mas entre tantas datas as que mais chamam a minha atenção são: o dia internacional da família, dia nacional da adoção e é claro, o dia das MÃES. Penso que estas datas estão muito relacionadas e centradas na pessoa “Mãe”. Então hoje o meu pensamento vai para as mães.

Para começar penso na palavra “Mãe”. Uma palavra tão pequenina, com um significado tão grande. Para mim “Mãe” significa segurança, cuidado, afeto e amor. Não é difícil de entender porque é uma das primeiras palavras que dizemos quando somos pequenos.

A minha mãe, com tantas qualidades e singularidades. Sua ternura me encanta. E o seu amor infinito é contagiante, que ficará para sempre.

Não tenho dúvida que ser mãe deve ser algo complicado, precisa aceitar o seu filho do jeito que ele é, respeitando as suas diferenças, não importa como ele seja fisicamente ou intelectualmente, o amor em primeiro lugar. Mas aceitá-lo com amor também significa ajudá-lo em sua educação, em seu desenvolvimento e ajudá-lo a encontrar a sua melhor versão.

Também tem a parte gratificante de ser mãe. Poder dar à luz a uma a um novo ser, minha nossa, é algo muito significativo! É uma graça divina, poder ter um filho que seja seu, poder ajudá-lo a andar, a falar, a se desenvolver, até não precisar mais depender totalmente da mãe.

Ver e vibrar com as vitórias dos filhos deve ser mágico. Minha mãe ficou muito feliz e emocionada quando me formei na faculdade, quando estreei nas telas de cinema no documentário “Expedição 21”, quando lancei meu livro “Taragô”, e agora sendo colunista da revista Maria Scarlet, e em tantos outros momentos.

Sei que nem todas as mães aceitam seus filhos como são, infelizmente, deixam abandonados, entregam para adoção, ou vivem com eles sem dar atenção e afeto. Por outro lado, tem mães que adotam filhos de outras mães e se dedicam e se realizam em criar e ajudar filhos de outros e assim se tornam as verdadeiras “mães de coração”. Ser mãe exige cuidado, olhar para as necessidades dos filhos, dialogar, participar, dar carinho e atenção. E, além de preparar seus filhos para o mundo, se preparar também para a saída deles de casa.

A vida no dia a dia é bem diferente do que é colocado na televisão no mês das mães, querem que a gente compre presentes e que tudo seja lindo. Mas o mais bonito mesmo é quando mães e filhos se entendem na convivência diária.  Mesmo que briguem, discordem e tenham opiniões diferentes, no final se entendem e fazem as pazes. Isto também é amor!

Dizem que vó é mãe duas vezes, convivo bastante com a minha vó paterna e amo muito ela. “Comidinha de vó é sempre muito bom”, tem uma coisa que me lembro de quando eu era menor, muitas vezes quando chovia ela fazia bolinhos de chuva, alguns recheados de banana e outros de goiabada. Uma delícia!  Tem uma coisa que eu herdei de minha vó, algo que eu adoro, sonhar com coisas que vão acontecer.

Da minha vó materna eu herdei umas “marquinhas” no queixo. Pelo menos é o que a minha mãe diz. Lembro muito pouco dela, gostaria de ter convivido mais com ela.

Minha mãe e eu temos personalidades fortes, em algumas coisas somos parecidas e outras não. Ela adora o verão e uma praia. Eu não gosto do calor e de estar na praia, na areia e …, bem já contei isso em um outro outros momentos. Por outro lado, combinamos em muitas outras coisas: gostamos de carne bem passada, risoto, salmão e vinho. Amamos viajar, passear e fazer umas comprinhas, aí nós somos muito parceiras.

Agora aqui pensando no “dia das mães”, um dia tão importante, quero muito estar com a minha mãe neste dia, passar um dia agradável, bem juntinho dela.

Diário, quero te contar que eu tenho uma mãe forte e esforçada. E agradeço por tê-la ao meu lado. Na realidade, eu agradeço a Deus!

Para a minha mãe:

Minha doce mãe, ser pequeno ou grande não importa, pois sempre preciso de ti.

És minha mãe e sempre serás. Te amo tanto, mamãe!

És forte, como um abraço bem apertadinho.

Não importa o que aconteça, sempre vou estar ao seu lado, orando por ti.

Talvez eu apronte, mas não fique zangada comigo. Faz parte da vida.

Mãe, posso te contar um grande segredo? Eu te amo!  

 

A todas as mães “Um feliz e abençoado dia das Mães”.

  • Fernanda, teu texto é muito verdadeiro. Tua mãe é muito especial, incansável e uma mãe totalmente envolvida em amor!
    Imagino também o gostinho dos bolinhos de chuva da delicada Dona Maria, sua vó paterna.
    Tive a alegria de ser afilhada e receber muito carinho , atenção e incentivo , da tua vó materna, a tia Nely, vejo em ti muito dela. Uma mulher forte , dedicada e sempre atenciosa com cada um ao seu lado.

    • Querida Jane!
      Amei o comentário, me emocionei com o que você escreveu e com as tuas lembranças. Mostrei pra minha mãe que também adorou. Muito obrigada pelo carinho.

Deixe um comentário