Compartilhe:

Renovando a libido após os 50

Muitas teorias e tabus cercam a vida sexual e a libido da mulher quando envelhece. Mas é fato para a maioria de nós que a vagina fica mais ressecada, por mais excitadas que estejamos. Por isso foi que achei muito bacana quando minha amiga, a Dra. Patricia Andrade, comentou que estava fazendo nas pacientes e nela mesma um procedimento para tratar o ressecamento, que pode ser feito no consultório, sem dor e de forma prática!

Coloquei para ela as minhas dúvidas e vim compartilhar com vocês aqui. A Patricia é especialista em ginecologia e obstetrícia, climatério, menopausa, implantes hormonais, laser íntimo e além disso, amiga e pessoa de super confiança. Que é exatamente o que precisamos quando se trata de cuidarmos da nossa saúde íntima!

Então perguntei um pouco mais sobre o tal procedimento “Monalisa Touch” em uma minientrevista:

Ana: Patricia, que procedimento é esse? Sem dor, sem desconforto, no próprio consultório… está me parecendo bom demais isso!

Dra. Patricia: O procedimento interno da vagina é completamente indolor. Na parte externa, na vulva, trabalhamos com um anestésico local potente,  que impede que seja dolorosa a aplicação do laser, visto que a vulva é muito mais enervada e sensível que a parede vaginal.

É importante saber bem como é o procedimento: o laser com que eu trabalho é um laser de CO2,  que fraciona colunas de luz microscópicas que irão penetrar na mucosa vaginal, deixando seu entorno intacto. Essa energia luminosa se transforma em calor, provocando a evaporação da água das células alvo, com a posterior remodelação  delas. Isto ocorre devido a ativação, principalmente, de uma família de proteínas, que vai estimular receptores celulares, principalmente os de colágeno.

Ocorre então um processo inflamatório, produzindo mais colágeno pelas células que foram atingidas no laser, reconstruindo tecido extracelular, criando uma estrutura mais firme, que sustenta toda a parede vaginal e, consequentemente, a uretra, que se apoia nesta parede.

Todo este processo melhora a estrutura vaginal e faz com que essas células voltem a produzir mais muco novamente, proporcionando mais elasticidade, espessura, sensibilidade e tônus, melhorando muito o incômodo e dor que é comum acontecer durante o coito nesta fase da vida da mulher. A vagina e a vulva são restauradas e, com a melhora da lubrificação natural, a flora vaginal de origem volta, deixando a mulher mais confortável e até com mais prazer no ato sexual!

Ana: Entendi! A ideia então é restaurar a flora natural perdida com o passar dos anos! Gostei! E além da melhora da lubrificação, quais os outros benefícios do laser?

Dra. Patricia: Com o aumento da produção de colágeno, o laser melhora a elasticidade vaginal, fazendo com que ela volte a ser mais distensível. Além do ato sexual ficar mais prazeroso, como consequência da melhora das paredes vaginais, teremos também um fortalecimento do suporte uretral, melhorando os sintomas de incontinência urinária, com maior controle da micção a médio e longo prazo.

O uso do laser tem também um efeito sobre o tom da pele, que costuma ficar mais manchada com o passar dos anos. Ele pode ser usado também em regiões como grandes lábios e virilha, para que a pele retorne a sua cor natural. Outro uso é para regenerar a mucosa pós-gravidez e parto.  Existem estudos recentes, e já temos alguns casos de muito sucesso, em uma patologia chamada líquen escleroatrófico, onde ocorre um defeito autoimune com consequente atrofia drástica da vulva e vagina, que tem sido beneficiado com uso do laser.

Ana E quais os possíveis efeitos colaterais?

Dra.Patricia: Nos primeiros dias, podemos ter uma sensação de ardência e prurido no local. Raras vezes tivemos a saída de muco vaginal sanguinolento.

Ana: Qualquer pessoa pode fazer?

Dra. Patricia: Sim, qualquer mulher pode fazer, inclusive tenho pacientes jovens que apresentam queixa de fissura na fúrcula vaginal (bem no introito vaginal) após atividades sexuais mais frequentes. E elas  são beneficiadas com a volta da elasticidade desse ponto, e a cicatrização destas fissuras, com esse procedimento.

Ana: No caso das mulheres na menopausa, o laser substitui a reposição hormonal?

Dra. Patricia: O laser não substitui a reposição hormonal sistêmica (que vai ter ação em diversos órgãos), mas seu efeito na área gênito-urinária é mais efetivo e rápido que meses de hormônios. Ele também é utilizado com muito sucesso naquelas mulheres que têm contraindicação para uso de hormônios ou que não querem usá-los.

Ana: É o meu caso! não precisei de reposição hormonal, mas a vagina ficou bem ressecada (ainda mais depois da “seca” da pandemia rs)

Dra. Patricia: É normal isso acontecer. Com a falta de hormônios da menopausa perdemos este estímulo formador de colágeno e a vagina se atrofia, ficando com a mucosa fina, pouco irrigada e muito sensível ao atrito, com sensação de ardência e dor. O laser ajuda a recuperar o prazer do ato.

Ana: Obrigada, Patricia! Confesso que tenho bastante receio de qualquer tipo de intervenção no meu corpo, por mais leve que seja. Mas entendo também que é necessário, em certos casos, para que tenhamos uma vida melhor e com mais autoestima. Gostei da ideia do laser, vou fazer!

Se quiserem esclarecer mais dúvidas com a Dra. Patricia, o contato dela é:
Dra. Patricia Gomes R de Andrade
Consultório: Av. nossa senhora de Copacabana
1052,  sala 505.   Rio de Janeiro
Telefones: +55 (21) 99626-0905 / 0944

 

Quer ver mais artigos dessa coluna?

Clique aqui!

Quer ver mais artigos dessa coluna?

Clique aqui!

Deixe um comentário